28 de agosto de 2018

Boas práticas de gestão e planejamento escolar

Por Nicolle Abreu

Compartilhar

Apesar de as escolas serem muito diferentes de empresas de outros setores, elas ainda precisam de uma gestão e planejamento eficientes. Esse planejamento envolve não apenas o diretor ou coordenador escolar, mas toda a equipe pedagógica.

A maneira como a escola é administrada influencia muito na qualidade de ensino oferecida aos alunos. Isso se revela, sobretudo, quando a escola enfrenta algum imprevisto para o qual está preparada, de forma que as práticas pedagógicas continuam acontecendo da melhor maneira possível mesmo em uma situação atípica. No entanto, as práticas de gestão vão muito além do que é ensinado em sala de aula.

Garantir uma boa gestão e um bom planejamento escolar pode ser bastante desafiador, visto que é necessário desdobrá-los em várias tarefas e obrigações, sem contudo sobrecarregar algum membro da equipe. Pensando nisso, preparamos este artigo com boas práticas que ajudam a estruturar um planejamento e uma gestão eficientes. Continue lendo!


A gestão e o planejamento escolar

O planejamento e a gestão escolar estão interligados, pois é através deles que a administração da escola acontece. Além disso, é necessário pensá-los de maneira a garantir à escola não apenas a saúde financeira, mas também a qualidade pedagógica – afinal, o objetivo maior da instituição é desenvolver e formar os alunos.

Ao procurar uma instituição para matricular os filhos, os pais e responsáveis procuram por uma escola que contribua com o desenvolvimento dos alunos, mas que também demonstre uma administração eficiente. Caso contrário, podem acabar optando por outras opções.

Além disso, é fundamental deixar claro que a instituição se preocupa em inovar e melhorar seus processos e práticas pedagógicas continuamente. Isso porque, considerando a velocidade das mudanças e transformações – não só no setor educacional, mas em todas as esferas da vida – uma escola que não procura atualizar suas práticas acaba se mostrando ultrapassada.

No contexto escolar, o planejamento está ligado com a qualidade de ensino oferecida pela escola. É o planejamento que determina os objetivos que a escola pretende alcançar e o que será feito para que esses resultados sejam alcançados.

Já a gestão se refere aos processos de contratação de funcionários, a administração do espaço físico da escola (limpeza, organização e infraestrutura), o pagamento dos salários dos educadores e outros colaboradores, a compra e venda de material didático, o reajuste de mensalidades, as matrículas, a distribuição das salas, o balanço financeiro, entre outros. Ou seja, é ela que garante que a escola continue funcionando.

Para que esses dois aspectos funcionem maneira eficaz e em conjunto, é necessário que toda a equipe pedagógica da escola trabalhe em acordo. Algumas boas práticas podem ajudar – e muito – nesse contexto.

Boas práticas de gestão e planejamento escolar

1. Não tenha medo de inovar com novas tecnologias

As ferramentas de gestão passam por grandes inovações tecnológicas para que o processo fique mais prático e rápido. A maior vantagem é que a escola pode usá-las até mesmo fora da sala de aula.

O importante é não ter medo de inovar e aprimorar. A tecnologia pode ser usada, por exemplo, para a organização da agenda; cadastro de fornecedores, alunos e pais; automatização dos processos financeiros; geração de relatórios; e até mesmo a venda de material didático.

Além disso, quanto ao planejamento pedagógico, podem-se utilizar a internet e as redes sociais para a divulgação do trabalho da escola, a criação de um portal do aluno para acompanhamento, correção automática de provas, emissão de boletins, entre outros.

2. Tenha um planejamento estratégico

Planejar a gestão escolar de forma estratégica pode ser uma grande vantagem para a instituição. O primeiro passo é eleger objetivos claros, que podem – e devem – ser especificados no Projeto Político Pedagógico (PPP). A partir disso, os recursos financeiros e as ações podem ser direcionados de forma mais assertiva, priorizando as tarefas e os gastos mais importantes para que aquilo que foi proposto seja alcançado.

A estratégia, nesse sentido, é verificar como a sua escola se destaca em frente às outras e o nível de satisfação das famílias e alunos e, a partir disso, criar metas para serem alcançadas. É essencial que o gestor da escola esteja atento aos processos gerenciais, que envolvem as despesas, os investimentos e o número de alunos matriculados, além de acompanhar a taxa de inadimplência.

Com os objetivos especificados, a escola pode propor uma reflexão a fim de identificar novas oportunidades e também possíveis fraquezas, o que consiste em uma prática de gestão voltada para a excelência e, por meio disso, destacar-se no setor educacional.

3. Saiba lidar com a inadimplência

Um dos fatores que pode levar a uma crise na gestão escolar, principalmente na gestão financeira da instituição, é a inadimplência. Como já posto, os gastos e investimentos da escola são pensados de acordo com um planejamento e uma previsão de receita que considera uma estimativa das matrículas; portanto, o não pagamento das mensalidades prejudica a execução desse plano.

Deve-se ter em mente que existem diversos motivos – o desemprego, por exemplo – que contribuem para que algumas famílias se tornem inadimplentes. Portanto, é importante que a escola crie uma estratégia de cobranças que seja efetiva, o que torna essencial utilizar um sistema automatizado que lembre os pais ou responsáveis do pagamento da mensalidade. Entenda que a melhor maneira de lidar com a inadimplência é evitando-a.

Ainda assim, alguns casos de devedores não podem ser evitados e a escola deve ficar atenta se essa taxa é alta. Esse é o momento de recorrer às práticas de reparação, como oferecer descontos, renegociar a dívida ou mesmo pensar em outras formas de pagamento.

4. Incentive a participação de toda a equipe

Todos os integrantes da equipe pedagógica e colaboradores das escolas são essenciais para uma boa gestão e planejamento escolar. Isso porque para que os objetivos sejam cumpridos todos precisam trabalhar em prol desse resultado. Portanto, é importante fazer com que essas pessoas se sintam engajadas.

Elas devem acreditar nos objetivos da instituição para que tenham motivação para trabalhar. Uma vez que isso não acontece, a qualidade dos serviços da escola pode acabar prejudicada, o que não deixa de ser notado pelos pais e que pode levar à evasão escolar. Para que essa equipe seja incentivada, é preciso que as melhorias também estejam voltada para eles, evidenciando a preocupação da instituição em inovar todos os seus processos.

5. Torne a venda de livros didáticos um processo online

A venda de livros didáticos na escola é uma atividade que pode gerar muitas dificuldades logísticas e por causa disso prejudicar a execução do planejamento escolar. Os problemas mais comuns são relacionados aos estoques de materiais, às formas de pagamento limitadas, à emissão de notas fiscais, à distribuição, aos problemas no pagamento, entre outros.

Uma boa prática de gestão, nesse sentido, consiste em tornar a venda do material didático mais prática e rápida. É possível, por exemplo, tornar todo esse processo online. Dessa maneira, os pais e familiares contam com maior comodidade no momento da compra, enquanto a escola abre mão de questões logísticas complexas.

O planejamento escolar é uma das melhores práticas da gestão escolar. Quer saber por onde começar? Baixe o nosso e-book gratuitamente:

boas-praticas-gestao-e-planejamento-escolar

Este artigo foi útil para você? Conhece outras boas práticas de gestão e planejamento escolar? Deixe a sua opinião nos comentários abaixo!

Compartilhar

Leia Também:

Deixe seu comentário