24 de setembro de 2019

A evolução da tecnologia educacional

Por Nicolle Abreu

Compartilhar

Introdução

Os processos educacionais se modificam bastante com o tempo. Sendo assim, a maneira na qual aprendemos sobre o mundo se diferencia pela cultura, suas influências e origens. Tendo um sistema educacional tão antigo quanto a filosofia grega, o uso dos espaços e da tecnologia educacional evoluiu bastante.

As evoluções tecnológicas, em geral, influenciaram o desenvolvimento da tecnologia educacional. O ambiente escolar tende a acompanhar a vida dos alunos e o desenvolvimento mundial. Invenções como o computador e a internet possibilitaram novas abordagens em sala de aula, ampliando o campo de atuação do professor.

Isso não significa que a evolução da utilização das tecnologias nas práticas educacionais esteja somente atrelada ao advento da internet. Pensando nisso, trouxemos uma linha do tempo sobre as evoluções tecnológicas e como elas afetaram o meio acadêmico. Confira!


A evolução da tecnologia educacional

1565 e o instrumento universal

O lápis pode ser considerado o instrumento de escrita universal pois trata-se do mais versátil e econômico. Geralmente é o primeiro instrumento de escrita que as crianças têm contato e é com eles que elas são alfabetizadas. Sua história se confunde com a evolução da humanidade.

O primeiro registro do uso do grafite é em 1565 na Grã-Bretanha, totalmente desprovido de refinamento, o artefato era feito com dois pedaços de madeira e um grafite no meio. O lápis como conhecemos hoje foi utilizado pela primeira vez em 1644, na Alemanha por um oficial da artilharia e nos anos seguintes tem início a profissão de fabricante de lápis popularizando o instrumento.

1890 e o quadro negro

Rudimentarmente, todo o conhecimento ficava registrado em paredes. As pinturas rupestres eram uma maneira de registrar os conhecimentos sobre táticas de caça e para os egípcios gravar os hieróglifos nas paredes das pirâmides era uma maneira de manter registrada a vida e o poder dos faraós. Acreditava-se que ao chegar no reino dos céus, os grandes reis do Egito deveriam saber quem haviam sido em vida. Podemos dizer que a escrita é a primeira tecnologia educacional da qual temos registro.

O quadro — que evoluiu da cor preta para a verde e posteriormente para o quadro branco — representou uma mudança significativa das dinâmicas em sala de aula e um grande divisor de águas da tecnologia educacional. Se assemelhando aos registros de conhecimento dos povos antigos, o uso do quadro negro pode ser considerado uma grande evolução do uso das tecnologias nas práticas educacionais. O quadro passou a ser o grande símbolo quando pensamos em uma sala de aula.

1950 e a revolução digital

Tecnologias como o projetor e o mimeógrafo surgem no que a história chama de terceira revolução industrial, ou revolução digital. Utilizadas até hoje em sala de aula, essas não foram as únicas invenções que serviram como estratégias educacionais da época. A máquina de Skinner ou máquina de ensinar foi desenvolvida em 1957 por um cientista do comportamento. B.F Skinner, o inventor da máquina, analisou os problemas de uma sala de aula e se empenhou em usar a tecnologia para solucionar o problema.

A máquina tinha o objetivo de encorajar a participação ativa dos estudantes. Para compensar a deficiência que existe em salas muito numerosas, a máquina serviria para que o aluno aprendesse no seu ritmo, sendo apenas supervisionado pelo professor. Atualmente, os jogos eletrônicos podem servir como uma alternativa à máquina de Skinner, já que permitem o desenvolvimento gradativo dos alunos a partir nos níveis de dificuldade dos jogos.

Podemos citar também a popularização da televisão em 1970 como uma tecnologia educacional. Foi nessa época que se tornou comum programas de TV educacionais, o que contribuiu para o que podemos chamar dos primórdios da educação a distância. Já em 1977, o uso dos computadores pessoais dentro das universidades acelera os processos de aprendizagem, que se intensifica com a chegada da internet.

2000 e a tecnologia acelerada

A implementação da tecnologia em sala de aula a partir dos anos 2000, se deu em parte pela facilidade que as novas ferramentas proporcionavam e em parte para se adaptar à realidade dos jovens. O uso da lousa digital, da gamificação e dos próprios smartfones dos alunos tornam as aulas mais dinâmicas e aumenta o engajamento dos discentes.

Além disso, a tecnologia educacional pode ser utilizada para além da sala de aula. A introdução de plataformas e e-commerces no ambiente acadêmico garante alta produtividade para a gestão, além de comodidade e satisfação para os pais e responsáveis. Existem também, diversos recursos e plataformas gratuitas para otimizar as atividades da gestão.

Os benefícios da evolução tecnológica na educação

São muitos os benefícios da utilização das tecnologias nas práticas educacionais. A evolução tecnológica possibilitou práticas acadêmicas como cursos EAD, aulas online, além do desenvolvimento de soluções educacionais que proporcionam melhor aproveitamento das atividades pedagógicas.

Algumas soluções como a Livro Fácil permitem que a família realize a compra dos materiais didáticos dentro de uma página na web personalizada de acordo com a instituição. Dessa forma, a família aprecia a comodidade de comprar e receber os livros em casa, e a escola fica livre de responsabilidades relacionadas a venda de material didático. A Livro Fácil também contribui para a geração de receita da instituição.

Entenda o que é tecnologia educacional

O conceito mais básico para tecnologia educacional envolve a utilização de ferramentas para aperfeiçoar e expandir as práticas pedagógicas e burocráticas de uma instituição de ensino. Usando a tecnologia a favor da educação, é possível promover mais desenvolvimento socioeducativo e maior acesso à educação. O processo de ensino-aprendizagem se renova e as relações interpessoais da escola melhoram.

Conclusão.

A evolução da tecnologia proporcionou uma evolução das práticas educacionais, gerando uma nova categoria voltada para as instituições de ensino: a tecnologia educacional. Ela representa uma mudança para todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem, podendo beneficiar professores, alunos, pais e a gestão.

Enquanto algumas ferramentas modificam as interações dentro de sala de aula, outras podem facilitar o dia-a-dia de diretores e coordenadores. Além disso, essas ferramentas são bem vistas pela família dos alunos. Citamos a Livro Fácil como uma boa alternativa pois não representa custos para a instituição.

Além dos benefícios citados, a tecnologia educacional pode ser um elemento importante para o processo de aquisição de alunos. Quer saber mais? Baixe gratuitamente o e-book 9 dicas para melhorar a retenção de alunos.

lf_e-book_13_9-dicas-para-melhorar-a-retencao-dos-alunos_cta

Compartilhar

Leia Também:

Deixe seu comentário