23 de novembro de 2018

3 maneiras de se comunicar melhor com as famílias dos alunos

Por Amanda Viegas

Compartilhar

Quando se tratam de assuntos administrativos, a comunicação entre a escola e a família deve acontecer de forma direta. Caso contrário, é comum que muitas informações importantes não cheguem aos pais e responsáveis da maneira correta. Para que não aconteçam mal entendidos, é essencial que essa relação seja a mais próxima possível.

Uma grande vantagem em criar um diálogo estreito com as famílias dos alunos consiste em aumentar a confiança dos pais e responsáveis com a escola. Essa confiança, por sua vez, é extremamente importante para aumentar a satisfação com os serviços da instituição. Para mais, um relacionamento próximo também pode contribuir para o bem estar dos alunos e para o seu desenvolvimento.

Pensando nisso, preparamos este artigo com 3 maneiras de se comunicar melhor com as famílias dos alunos. Continue lendo!


Como se comunicar melhor com os pais e responsáveis?

Para melhorar a comunicação com os familiares é preciso considerar como o diálogo transita entre as duas partes e verificar como esse processo pode ser melhorado. É desafiador garantir uma interlocução eficiente, por isso, é importante deixar claro como o contato da escola costuma ser feito desde o momento da matrícula.

Para tanto, o gestor escolar pode aproveitar 3 boas práticas:

1. Aposte em uma comunicação transparente

Ao longo do ano letivo é comum que os pais e os responsáveis tenham dúvidas a respeito dos aspectos administrativos da escola, do desenvolvimento dos alunos, da aquisição do material didático e do uniforme escolar, entre outros. Dessa forma, facilitar o acesso a essas e a outras informações por meio de uma comunicação transparente contribui bastante para um bom relacionamento com as famílias.

Ter uma comunicação direta e transparente significa que as informações chegam aos pais e responsáveis de forma simples e no momento certo. Nesse contexto, relatórios sobre o desempenho dos alunos e avisos sobre datas ou eventos especiais podem ser enviados por e-mail ou reunidos no site da escola. Além disso, outra boa prática é agendar reuniões de de pais e responsáveis periodicamente. Já quando se tratam das questões burocráticas, o ideal é que algumas delas sejam esclarecidas logo na matrícula, por exemplo:

  • Detalhes do contrato;
  • Valor da matrícula e divisão das mensalidades;
  • Lista de material didático e como adquiri-lo;
  • Tipos de uniforme;
  • Carga horária escolar e fechamento dos portões;
  • Regras da instituição.

2. Invista em diversos canais de comunicação

É preciso ter em mente que famílias diferentes não se comunicam sempre da mesma maneira. Dessa forma, investir em diversos canais de comunicação favorece o relacionamento, uma vez que ajuda a escola a atender pais e responsáveis que preferem ser contatados de formas diferentes. Uma opção é implementar ferramentas digitais com esse objetivo, visto que garantem que as notícias cheguem no momento correto.

Existem diversos canais que a escola pode aproveitar para entrar em contato com os pais e responsáveis, sendo alguns deles:

  • Página da escola no Facebook;
  • Grupo no Whatsapp;
  • E-mail;
  • Formulário de contato no site da escola;
  • Telefone;
  • Agenda digital.

Ainda assim, a gestão escolar não deve se restringir apenas a essas opções, uma vez que são vários os aplicativos escolares que permitem um diálogo mais direto. Por meio dessas ferramentas, é possível disseminar informações como reuniões, eventos escolares, lançamento de notas, lista de material didático, datas importantes e lembretes de pagamento. Além disso, é possível abrir espaço para receber sugestões, promover discussões e tirar dúvidas.

Com um dia a dia corrido, muitos familiares não têm o tempo necessário para ir até a escola presencialmente. Dessa forma, investir na tecnologia para comunicação à distância pode ser um diferencial frente às outras instituições. Nesse caso, é importante designar um colaborador responsável por administrar os canais escolhidos para comunicação e definir um horário para o atendimento.

3. Incentive a participação dos familiares na escola

A comunicação entre a escola e a família contribui também para o desenvolvimento dos alunos. Com engajamento e feedbacks é possível melhorar os processos e aprimorar as políticas da escola. Além disso, o diálogo direto com o pai ou responsável é fundamental para a construção de um relacionamento de confiança.

Apesar de ser importante investir em tecnologias digitais, não se devem deixar de lado as reuniões presenciais. Devem fazer parte do planejamento escolar encontros periódicos, que tornam o relacionamento mais próximo e familiar. Esses momentos podem ser aproveitados para acompanhar os estudantes de forma mais individualizada, discutir a respeito dos processos pedagógicos, tirar dúvidas sobre atividades extracurriculares e apresentar as melhorias propostas, por exemplo.

Outra forma de incentivar a participação dos familiares na escola é através de eventos e datas comemorativas. Dia das Mães, dia dos Pais, dia da Família, Festa Junina ou Julina, campanhas de Setembro Amarelo, Outubro Rosa e Novembro Azul são exemplos que podem ser explorados para aproximar os pais e responsáveis das atividades da escola. Também é possível envolvê-los em outros tipos de ações, como excursões ou festivais. A divulgação pode acontecer por meio dos principais canais de comunicação que a escola decidir implementar.

Como lidar com as famílias distantes da vida escolar dos alunos?

A comunicação escolar não depende somente da escola, mas também das famílias dos alunos – elas precisam demonstrar interesse em criar um relacionamento. De acordo com a pesquisa “Atitudes pela Educação”, realizada pelo “Todos Pela Educação”, 19% dos pais e responsáveis são distantes do ambiente escolar, enquanto apenas 25% estão acompanham de perto a rotina escolar dos filhos.

Esse grupo de familiares distantes requer um incentivo maior para participação, mesmo que de forma mais pontual. Nesse caso, a comunicação remota é ainda mais importante. É essencial que a gestão da escola proponha uma comunicação direta, rápida e moderna, o que remete às boas práticas apresentadas anteriormente.

Uma opção, também, é realizar um acompanhamento da família e do aluno em conjunto com um psicólogo escolar. Esse profissional tem um papel facilitador da comunicação, tornando-se uma ponte entre a instituição, o aluno e os responsáveis. Dessa forma, é possível melhorar a qualidade dos processos escolares e do desenvolvimento educacional dos estudantes.

Quer conhecer outras práticas que também podem melhorar a comunicação escolar? Baixe gratuitamente o nosso e-book sobre o assunto:

cta-maneiras-de-se-comunicar-melhor-com-as-familias-dos-alunos

Como é a comunicação escolar da sua escola? Comente abaixo e contribua ainda mais para a discussão sobre o assunto!

Compartilhar

Leia Também:

Deixe seu comentário